mai 23 2022

Carne brasileira vale US$ 6.340/ T e bate novo recorde


O mercado da carne bovina passa por uma mudança histórica em seus patamares de preços. Não sendo uma exclusividade do Brasil, a valorização do produto acontece de forma global. Entretanto, é preciso destacar o papel positivo para a balança comercial brasileira, tendo em vista que os preços negociados da carne bovina embarcada, segue em constante renovação dos recordes históricos.

Na última semana, segundo a Secex, os dados divulgados trouxeram um novo avanço e, pela primeira vez na história, o preço médio da carne bovina ultrapassou a casa dos US$ 6.000 por tonelada, trazendo um novo recorde de preço.

Os grandes economistas e analistas de mercado pecuário, trouxeram suas avaliações referentes aos dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex), computados em abril/22 e durante as duas semanas deste mês de maio. “Pela primeira vez na história, os preços médios de exportação da carne bovina brasileira in natura oscilam acima do patamar de US$ 6.000/tonelada” apontou o analista da Agrifatto.

Ainda segundo os dados divulgados no relatório semanal de exportações da Agrifatto, as exportações de carne bovina in natura da primeira quinzena de mai/22 totalizaram 73,85 mil toneladas, avanço de 33,7% ante o mesmo período no ano passado. No entanto, em comparação ao mês passado, os embarques da proteína bovina foram 17,93% inferiores.

O relatório ainda aponta que, ” caso volume diário das exportações mantenha o atual ritmo diário de embarques, mai/22 poderá ser recorde para o período, no entanto, a dificuldade de superar esse patamar é maior que nos meses anteriores”. Lembrando que o setor enfrenta algumas dificuldades logísticas e, também, embargos de algumas indústrias pela China.

A Secex, divulgou que os preços médio mensal da carne bovina embarcada no período ficou em US$ 6,34 mil/t. Esse valor representa um avanço de 2,1% ante a média de abr/22, continuando no processo de renovação de máximas históricas de preço.

“Até o momento, as vendas externas de carne bovina in natura em mai/22 consolidaram uma receita de US$ 468,35 milhões, o equivalente a 75% do montante total obtido com os negócios em todo o mês de mai/21, quando a carne bovina tinha o valor 22,6% inferior.”, trouxe o relatório da Agrifatto.

Na opinião de Travagini, no curto e médio prazos, a tendência é de que o preço da carne bovina brasileira continue em um patamar próximo ao atual (em torno de US$ 6.000/tonelada), já que “não há perspectivas de grande reduções de demanda internacional, nem mesmo de deflação”.

Fonte: Compre Rural