jul 27 2021

Leite: Parceria do Governo de MS e Conafer garante melhoramento genético a agricultores familiares


Na semana em que a Agricultura Familiar faz uma comemoração Mundial, o Governo do Estado, através da Secretaria de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar (SEMAGRO), dá um importante passo em prol do setor - que hoje produz 90% do leite do Estado - com a consolidação de uma parceria com a Confederação Nacional de Agricultores Familiares e Empreendedores Familiares Rurais (CONAFER) para execução do Projeto “Mais Pecuária Brasil” que fará a doação de centenas de milhares de doses de sêmen, fornecidas pela multinacional Alta Genetics, durante os próximos 4 anos, beneficiando agropecuaristas familiares do Mato Grosso do Sul.

Na abertura do ato virtual de assinatura do Acordo de cooperação técnica que garantirá a execução do projeto em Mato Grosso do Sul, o Secretário Jaime Verruck - titular da Semagro – afirmou que o programa poderá ser um divisor de águas para o setor leiteiro do Estado. “ Oferecendo de forma gratuita a tecnologia de inseminação artificial para o desenvolvimento dos rebanhos bovinos de corte e leite dos agricultores familiares do Estado “Estamos, não só investindo no melhoramento genético nestes estabelecimentos agro familiares, mas investindo diretamente no crescimento socioeconômico desses produtores o que dará estímulo a todo o mercado do segmento da agricultura familiar”.

Ao falar da política implementada pelo Governo do Estado para o desenvolvimento das 43,2 mil famílias da agricultura familiar em Mato Grosso do Sul, o Secretário Jaime explicou que ela se deu de forma firme e constante, atendendo a prerrogativa de dar prioridade ao setor, conforme recomendação do Governador Reinaldo Azambuja.

“Entregamos maquinários, implementos e equipamentos para todos os municípios sul-mato-grossenses, criamos centrais de abastecimento, auxiliamos na organização de cooperativas e associações, reforçamos o trabalho de assistência técnica, realizamos a recuperação de estradas municipais e mais recentemente, junto com Governo Federal, trabalhamos pela regularização de títulos de terras, fundamental para que esses produtores tenham acesso as políticas públicas e possam permanecer no campo e crescer”. Disse Jaime.

Segundo o Superintendente de Meio Ambiente, Ciência e Tecnologia, Produção e Agricultura Familiar, Rogério Beretta, a equipe técnica da Semagro, está finalizando o Plano Estadual do Leite, o ‘Pró-Leite’, sob a coordenação de Marivaldo Miranda, Coordenador de Pecuária – que tem experiência de décadas à frente dos principais projetos voltados ao setor, no Governo - e conta com o trabalho de Orlando Serrou Camy e Ariani Monaly Monteiro, profissionais extremamente gabaritados para a missão.

Beretta comentou ainda que a pecuária de leite é muito significativa e o Projeto ‘Mais Pecuária Brasil’ vem coroar e trazer uma possibilidade real de melhoria de qualidade de vida (diga-se renda) para os agricultores familiares do Estado.

“Queremos parabenizar a Conafer pelo alinhamento institucional. Considerando a capacidade limitada dos governos, precisamos nos valer das potencialidades de parceiros como vocês”. Disse Beretta.

Ao destacar que a baixa produção e a logística, são alguns dos principais gargalos do setor, e que a melhoria da genética das vacas e da produtividade pode ser um importante passo para oferecer viabilidade para o produtor e também para a indústria, o Superintendente afirmou: “Esse programa se encaixa perfeitamente no nosso plano. Estamos muito felizes e certos de que logo poderemos ampliar o atendimento”.

Segundo o Diretor Presidente da Agraer, André Nogueira Borges, a execução do Projeto será acompanhada pela agência nos municípios, e surge como um complemento importante para o trabalho que já realizam no Estado.

André também elogiou sua equipe, citando o Gerente de Desenvolvimento Agrário e Abastecimento Araquém Midon, que estará à frente do projeto. O diretor disse que o projeto ajuda a melhorar os preços pagos pelo produto – reclamação recorrente dos produtores.

André falou da recente visita que realizou junto do Secretário Jaime a alguns assentamentos onde observaram ainda mais de perto as demandas, debateram com produtores e puderam conferir de perto o resultado das ações realizadas até agora.

“Só existe um caminho para os Governos ajudarem a mudar a realidade de quem está na atividade leiteira, investir em tecnologia, assistência técnica e dar condições para que se organizem em cooperativas e associações, buscando fazer com que a atividade seja menos penosa e mais rentável”. Reforçou o Diretor.

Os representantes da Conafer, bem como da multinacional Alta Genetics elogiaram as ações do Governo do Estado, o trabalho da equipe da Semagro e a forma como conduziram as tratativas até a consolidação da parceria.

Para Tiago Lopes, vice-presidente da Conafer, assim que conseguirem alinhar bem as estruturas e fortalecer o vínculo o projeto poderá ser ampliado e o atendimento estendido para um número cada vez maior de pequenos produtores do Estado.

Mato Grosso do Sul

As três principais atividades econômicas de Mato Grosso do Sul - Estado de enorme dimensão territorial - o consolidam como um dos principais celeiros agrícolas do mundo.

Sua agricultura, pecuária e agroindústria se destacam pela quantidade e a qualidade do que é produzido. O agronegócio obtém grandes receitas exportando commodities, como soja, cana-de-açúcar, milho, gado e celulose. E a agricultura familiar, sempre na garantia da segurança alimentar, produz os alimentos que chegam à mesa da maioria dos sul-mato-grossenses e o Governo do Estado tem neste setor uma de suas prioridades.

Pelo último censo (2017), a principal atividade agrícola dos pequenos produtores do Mato Grosso do Sul é a agropecuária. Com quase 50 mil estabelecimentos, ela está bem à frente da segunda colocada, a lavoura, com um pouco mais de 10 mil propriedades. Por sua dimensão territorial de 357 mil km², associada a uma baixa densidade demográfica com uma população de quase 2,7 milhões de habitantes, o Estado segue com uma das grandes fronteiras agrícolas do Brasil.

Pela Lei da Agricultura Familiar, cada propriedade deve ter no máximo 4 módulos fiscais. Ocorre que no Mato Grosso do Sul, apenas 1 módulo fiscal pode ter de 15 a 100 hectares, o que garante bastante espaço para a atividade da pecuária familiar.

A atividade agropecuária ainda conta com criadores de bubalinos, equinos, asininos, muares, suínos, caprinos, ovinos e aves.

Pelo mesmo Censo citado acima, no Mato Grosso do Sul eram 43 mil propriedades de agricultura familiar, sendo 30 mil dedicadas à atividade pecuária com plantéis que somados chegam a 1,2 milhão de cabeças de gado de corte e 146 mil de vacas leiteiras. Esses números demonstram o protagonismo dos agropecuaristas no segmento econômico da agricultura familiar no Estado e dão a dimensão das necessidades de um setor que tem recebido atenção especial por parte do Governo e se prepara para implementar um programa especifico para o setor leiteiro, o “Pró-leite”.

Agricultura Familiar em MS

A realidade do Estado é de 120 mil inscrições entre grandes e pequenas propriedades, incluindo os arrendatários. Grande parte são pequenos produtores com grande força e representatividade econômica da agricultura familiar na economia do Estado, produzindo e gerando divisas.

O trabalho de fortalecimento do segmento é realizado por meio da AGRAER, com a execução de ações e projetos, acesso ao Pronaf junto ao Banco do Brasil e Sicredi, auxilio na emissão de DAPs e a própria assistência técnica.

A SEMAGRO

É neste cenário de grandes desafios para manter um crescimento agrícola permanente, que atua a SEMAGRO, a Secretaria de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar, comandada pelo secretário Jaime Verruck.

A Secretaria de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar (SEMAGRO) atua pelo desenvolvimento e elaboração de políticas públicas, englobando os órgãos executores e responsáveis pela aplicação destas políticas. Um dos mais importantes o do Meio Ambiente, pois o desenvolvimento só existe respeitando sempre as leis e licenciamentos, as regras de sustentabilidade.

A agricultura familiar tem uma superintendência voltada exclusivamente ao segmento, uma coordenação para cuidar especificamente do setor agro familiar em todas as áreas, o que inclui um olhar para a pecuária, como a de leite, as culturas hortifrutigranjeiras e a agroindústria.

Neste olhar transversal das cadeias produtoras, contamos com trabalho da Agência de Desenvolvimento Agrário e Extensão Rural, a AGRAER, que executa as ações e políticas públicas com um número de 300 técnicos do Estado levando assistência técnica e extensão rural.

Notícias Agrícolas