dez 21 2020

Geraldo Borges é reeleito presidente da Abraleite


O criador e selecionador de gado Gir Leiteiro e Girolando e produtor de leite Geraldo Borges foi reeleito, por aclamação, para mais um mandato na presidência da Abraleite (Associação Brasileira dos Produtores de Leite). A eleição da diretoria da Abraleite para o triênio 2021/22/23 ocorreu nesta segunda-feira 21, durante assembleia-geral em formato híbrido – presencial, na sede, em Brasília, e por videoconferência.

Durante a eleição da nova diretoria, também foi aprovada a incorporação da Leite Brasil, com sede em São Paulo, pela Abraleite. Com isso, a Associação Brasileira dos Produtores de Leite fortalece ainda mais sua representatividade no cenário nacional. Uma das mais novas entidades do agro brasileiro, a Abraleite já conta com representação em todas as unidades da Federação.

Ao AGROemDIA, Geraldo Borges adiantou que a prioridade do segundo mandato é consolidar a associação como referência nacional não só do setor leiteiro, mas também do agronegócio. “Neste primeiro mandato, iniciado em 2017, quando a Abraleite foi criada, procuramos estruturar a entidade, que já tem sede própria, milhares de associados em todas as 27 unidades da Federação e respeito e trânsito com o governo federal, Câmara dos Deputados, Senado e a imprensa nacional. Agora, trabalharemos para consolidá-la”

Geraldo Borges ressaltou também que a Abraleite intensificará, no triênio 2021/2/23, o acompanhamento de propostas de políticas públicas de fortalecimento da cadeia leiteira. Somente na Câmara e no Senado, a associação acompanha 55 projetos. “Além disso, apresentamos outras 28 propostas de políticas públicas ao governo federal, por intermédio de nove ministérios.”

As principais reivindicações da Abraleite estão voltadas à qualificação e à competitividade do setor leiteiro. Nestes três anos, a associação se dedicou a buscar a redução dos custos de produção da atividade leiteira, a diminuição da carga tributária e a capacitação dos produtores, além de intensificar a articulação com a base produtora para tratar das pautas da cadeia leiteira.

Entre os pedidos feitos pela Abraleite ao governo federal, está, por exemplo, o que isenta de tarifas as importações de equipamentos usados pelo setor leiteiro. “Temos que criar condições melhores para os produtores de leite e a cadeia produtiva do leite, para que sejamos mais competitivos, com melhores resultados”, enfatizou Geraldo Borges, que também é pós-graduado em gestão estratégica de negócios.

Nestes três anos, a Abraleite cita como realizações, junto ao governo federal e ao Congresso Nacional, a proibição da re-hidratação e re-invase leite em pó, o combate à fraude econômica no leite UHT e à propaganda agressiva contra o leite e as negociações para suspensão das importações predatórias de leite em pó do Uruguai.

A associação também relaciona, entre suas conquistas, as prorrogações coletivas de dívidas de produtores de leite, a regulamentação do leite e derivados A2, orgânicos e artesanais, a regulamentação da criação, comercialização e exportação de vitelos (bezerros leiteiros), e o lançamento de nova linha de crédito para retenção de matrizes. “Além disso, temos tido atuação firme e proativa em momentos críticos, como greve dos caminhoneiros e durante a pandemia de covid 19”, sublinha Geraldo Borges.

O dirigente da Abraleite pontuou ainda que a nova diretoria da Abraleite é formada por nomes de grande liderança na pecuária leiteira nacional.

Fonte: Agro em Dia