nov 12 2020

Encontro vai debater cenário pós eleição nos EUA


Após alguns dias de especulações e polêmicas, com 290 votos contra 214, o democrata Joe Biden foi eleito presidente dos Estados Unidos, desbancando Donald Trump. Diante desse cenário, quais os impactos dessa mudança para o agronegócio e para a economia brasileira? Essa e muitas outras questões sobre o pós-eleição tanto nos EUA quanto no Brasil serão discutidas no Encontro de Analistas da Scot Consultoria, que será realizado em 27 de novembro, em São Paulo.

O diretor-fundador da Scot Consultoria e mediador do evento, Alcides Torres (Scot), antecipa que, com relação ao agronegócio como um todo, a eleição de Biden não mudará muito o cenário neste primeiro momento, ou seja, nos próximos 12 meses. Mas, segundo ele é importante lembrar que o último grande presidente democrata católico dos Estados Unidos foi John Fitzgerald Kennedy, que era pragmático, e o Biden, que foi vice de Barack Obama, tem perfil semelhante.

“Os presidentes democratas têm a característica de defender os agricultores norte-americanos e, nesse sentido, poderemos ter alguma surpresa. Esse assunto com certeza será explorado pelos nossos debatedores no primeiro painel do Encontro de Analistas. Além da repercussão do pós-eleições nos EUA e Brasil, também abordaremos a disputa comercial entre os americanos e os chineses, e os reflexos desse cenário nos mercados mundiais”, diz Scot.

Neste bloco (macroeconomia) estão confirmados os debatedores Alexandre Mendonça de Barros, sócio-consultor da MB Agro; André Perfeito, economista-chefe na Necton Corretora de Valores; e Eduardo Sampaio Marques, assessor no gabinete da Ministra da Agricultura Pecuária e Abastecimento.

Também participam do bloco de macroeconomia Marcos Jank, pesquisador no Insper e professor da Esalq-USP; Pedro Parente, presidente do Conselho de Administração da BRF e Sérgio de Zen, diretor de política agrícola e informações na Conab.

A segunda parte do Encontro também contará com um bloco cujo tema é: “O boi gordo subiu e os custos de produção também”. Entre os assuntos que serão abordados estão as altas nos preços dos principais insumos consumidos pela pecuária tais como, milho, farelos e suplementos; as tendências para 2021; cenário vigente e expectativas para as relações de troca: boi gordo x bovinos para reposição, entre outros importantes temas. “Além do mercado de carne bovina, também discutiremos os mercados das principais commodities que afetam o desempenho da pecuária de corte nacional. Embora cerca de 60% da próxima safra de grãos já estejam comercializadas, a baixa dos estoques de passagem e o atraso no plantio da soja, que vai estreitar a janela da semeadura na segunda safra de milho, são elementos interessantes a se discutir”, destaca o diretor.

Neste painel os debatedores serão: Francisco Turra, presidente do Conselho Consultivo da ABPA - Associação Brasileira de Proteína Animal; Hyberville Neto, consultor de mercado da Scot Consultoria; Leandro Bovo, diretor da Radar Investimentos; Marcio Rezende Evaristo Carlos, secretário-adjunto de Defesa Agropecuária do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento - MAPA; e Rafael Ribeiro, consultor das divisões de grãos, leite e agricultura da Scot Consultoria.

Novo formato

Este ano o Encontro de Analistas acontece será diferente, será “híbrido”, ou seja, os participantes terão a opção de participarem do evento presencialmente em São Paulo, ou remotamente/digitalmente. O evento presencial será no Espaço Villa Bisutti, na Vila Olímpia na capital paulista, um local preparado para atender todas as exigências e recomendações de segurança sanitária e terá capacidade para, no máximo, 100 participantes.

Quem optar por participar à distância, digitalmente, poderá se relacionar com outros participantes e enviar perguntas para os analistas através da plataforma de transmissão. A plataforma está preparada para atender as necessidades de quem estiver participando remotamente. Contudo, vale ressaltar que tanto para o evento presencial quanto para o digital as inscrições são limitadas, por isso é bom ficar atento.

Fonte: Agrolink