nov 8 2020

Goiás registra segundo maior plantel de bovinos do Brasil, aponta IBGE


O boletim informativo Agro em Dados de novembro traz entre seus destaques uma análise da Pesquisa Pecuária Municipal (PPM), divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que aponta que o Estado de Goiás possui o segundo maior plantel de bovinos do País, com 22,8 milhões de cabeças — valor que representa alta de 0,6%.

Segundo o informativo, esse crescimento foi impulsionado, sobretudo, pela retenção de fêmeas para reprodução, no qual verificou-se retração na participação de fêmeas no abate em Goiás de 5,8%, na comparação entre 2018 e 2019, conforme o IBGE, apontando uma transição do ciclo de baixa para o de alta da pecuária — quando o produtor passa a reter fêmeas devido aos bons preços de mercado.

O Agro em Dados também pontua que, em relação às cotações de bovinos, o mercado segue em alta em toda cadeia, com destaque para a elevação dos preços de bezerros. No mercado regional, segundo cotações da arroba do boi gordo (15kg), levantadas pelo Instituto para o Fortalecimento da Agropecuária de Goiás (Ifag), a 3º semana de outubro registrou R$ 249,79, alta de 2,9% ante a semana anterior.

O informativo explica que a demanda internacional aquecida, somada à baixa oferta de bovinos terminados para abate, segue impulsionando o Indicador do boi gordo Cepea/B3, que chegou a R$ 270 por arroba. Ainda, as exportações goianas de carne bovina cresceram em valor mais que em volume, ratificando a valorização dessa commodity no mercado mundial e a competitividade da carne bovina goiana.

Conforme avalia o secretário de Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Antônio Carlos de Souza Lima Neto, a bovinocultura de corte vive um bom momento no Estado, mas o cenário ainda é de cautela.

“Há preocupação com o aumento de custos para os pecuaristas em relação aos insumos, que podem interferir na rentabilidade, e em relação à demanda e os valores no mercado interno. Por outro lado, conforme aponta o Agro em Dados de novembro, há uma expectativa do mercado de demanda internacional em expansão, com os preços em alta, o que estimula a exportação de carne bovina brasileira”, argumenta.

Ele lembra que Goiás é destaque também nesse ponto, “uma vez que 13,4% de toda a carne bovina exportada em 2020 pelo País saiu daqui. Isso é fruto dos investimentos de produtores e também do Estado. O Governo de Goiás, por orientação do governador Ronaldo Caiado, tem investido pesado na qualificação da carne bovina goiana, a exemplo da campanha de vacinação contra a febre aftosa, em curso neste mês, que atesta a sanidade e a qualidade dos nossos animais”, pontua.

Fonte: Jornal Opção