jun 15 2020

Ministério eleva previsão para o valor da produção agropecuária do país em 2020 para R$ 703,8 bi


Uma nova melhora das perspectivas do Ministério da Agricultura principalmente para a soja, cuja colheita bateu novo recorde no país nesta safra 2019/20, levou a Pasta a elevar sua estimativa para o valor bruto da produção (VBP) agropecuária no país em 2020, apesar dos reflexos negativos da pandemia em algumas cadeias produtivas.

Segundo levantamento recém-concluído, o VBP do setor como um todo passou a ser calculado pelo ministério em R$ 703,8 bilhões, montante, recorde, R$ 6,8 bilhões maior que o previsto em maio e 8,5% superior ao de 2019.

Para o conjunto formado pelas 21 principais lavouras do país, o ministério elevou sua projeção VBP de R$ 469,8 bilhões, com aumentos de R$ 7,7 bilhões ante maio e de 11% em relação ao ano passado.

Com a colheita recorde, boa demanda externa e preços domésticos também valorizados pelo câmbio, a soja foi fundamental para essa correção. A Pasta elevou sua estimativa para o valor da produção do grão para R$ 167,7 bilhões, R$ 4,1 bilhões a mais do que previa no mês passado e montante agora 17,6% superior ao de 2019.

Mas também continuam a colaborar para o aumento do VBP agrícola na comparação com 2019 crescimentos previstos para arroz (10%, para R$ 11,4 bilhões), cacau (25,9%, para R$ 2,9 bilhões), café (36,9%, para R$ 28,1 bilhões), cana (1,4%, para R$ 61,9 bilhões), milho (15,1%, para 75,8 bilhões) e trigo (51,1%, para R$ 7 bilhões).

Para o VBP conjunto das cinco principais cadeias da pecuária, o ministério voltou a reduzir sua estimativa, desta vez para R$ 234 bilhões, cerca de R$ 900 milhões a menos que o projetado em maio mas montante ainda 3,9% superior ao do ano passado.

Para os bovinos a conta foi reduzida para R$ 101,9 bilhões, ainda 11,6% acima do número de 2019. Para o frango, a estimativa caiu para R$ 62,9 bilhões, valor 7,2% mais baixo em igual comparação. No caso dos suínos o VBP deverá aumentar 8% ante o ano passado, para R$ 19,9 bilhões, e no dos ovos o avanço deverá chegar a 14,8%, para R$ 14,2 bilhões. Conforme o ministério, o valor da produção de leite deverá permanecer praticamente estável em R$ 35,1 bilhões.

Valor Econômico