mai 26 2020

Ministério vai oficializar protocolo sanitário para funcionamento de frigoríficos durante a pandemia


A ministra da Agricultura, Tereza Cristina, informou que sua Pasta deverá publicar até amanhã uma portaria para oficializar um protocolo sanitário para o funcionamento dos frigoríficos do país durante a pandemia. A informação foi dada hoje durante uma reunião virtual com a Comissão Externa de Ações contra o Coronavírus da Câmara dos Deputados. O objetivo é harmonizar as ações das empresas para evitar o fechamento de plantas por determinação da Justiça, como houve recentemente no Rio Grande do Sul.

“Vamos editar uma portaria e duas instruções normativas para que possamos harmonizar as ações. As dificuldades que tivemos no primeiro momento foram de falta de coordenação entre Estados, municípios e governo federal. Hoje conseguimos harmonizar e para isso sairá a portaria, que vai contemplar a maioria das ações que precisam ser feitas nos frigoríficos para que a gente não tenha — e possa antecipar — o que aconteceu no Rio Grande do Sul. Daqui para frente, nossa sintonia será total para dar segurança”, disse a ministra.

No mês passado, o Ministério da Agricultura já havia publicado uma orientação conjunta com os ministérios da Saúde e da Economia. Logo no início da pandemia, as associações de indústrias de proteínas elaboraram protocolos e implementaram medidas de higiene e distanciamento nas unidades, referendados pela Pasta de Tereza Cristina. “Antes, era uma orientação. Agora vai ser uniformizado, com ações atualizadas”, disse Antônio Camardelli, presidente da Abiec.

Atualmente, dois frigoríficos estão fechados no Brasil. Uma planta em Santa Catarina e uma em Pernambuco. “A de Santa Catarina deve reabrir em breve e de Pernambuco em mais uma semana, se tiver com tudo que é preciso deve voltar à normalidade”, informou Tereza Cristina.

A ministra contou também que a Pasta implantou uma ferramenta com mapeamento de todos os frigoríficos do Serviço de Inspeção Federal (SIF) para saber quantos funcionários cada planta tem e se existem pessoas contaminadas. O ministério também monitora os casos de coronavírus nas cidades onde as unidades estão instaladas e solta alertas para as empresas quando há crescimento no número de infectados nos municípios.

Valor Econômico