dez 6 2019

Demanda do leite deve começar reação


A demanda para o leite brasileiro deve começar a se recuperar, depois de um 2019 com uma grande oferta. Foi isso que apontou o relatório de perspectivas para o agronegócio, produzido e divulgado pelo Rabobank.

“Ao longo de 2019 a produção de leite cresceu no Brasil, com margens positivas para os produtores, que oscilaram entre elevadas no primeiro semestre e moderadas na segunda metade do ano. Com a redução do custo da ração ao longo da primeira metade do ano devido aos preços menores dos grãos e, preços do leite ao produtor significativamente maiores em comparação com 2018, houve um incentivo à produção de leite no campo. Dados do IBGE apontam um crescimento da produção no campo de 5% em volume no primeiro semestre. Para o ano como um todo esperamos crescimento próximo de 4%”, disse o texto.

Além disso, o relatório indicou também que o consumo desapontou no Brasil com demanda crescendo pouco no primeiro semestre e apresentando leve recuperação no final do ano. “O ano de 2019 foi o terceiro ano consecutivo de expectativas frustradas com relação ao crescimento econômico. Após o fim da pior recessão da história recente (2014-2016), pelo terceiro ano seguido (2017-2019) o crescimento econômico foi decepcionante e acabou atrasando a recuperação do consumo dos lácteos. O mercado de leite fluido teve um desempenho pior do que outras categorias, como os queijos, dado que mudanças demográficas e saturação de marcas trazem mais dificuldades para obter rentabilidades superiores no mercado de leite UHT”, completou.

Como pontos de atenção, o Rabobank lembra que a recuperação do consumo deve acelerar o lançamento de novos produtos e as inovações nas principais categorias doslácteos. Outro pronto é que o setor dos queijos deve continuar com performance acima da média do mercado, com aumento de consumo em 2020.

Agrolink