dez 2 2019

Com preço em alta, exportações de carne bovina crescem 45%


As exportações brasileiras de carne bovina in natura renderam US$ 755,8 milhões em novembro, aumento de 45% ante o reportado no mesmo mês do ano passado, segundo dados Secretaria de Comércio Exterior (Secex). Em volume, os embarques de carne bovina aumentaram 19,2%, para 155,6 mil toneladas.

O preço médio do produto in natura nos 20 dias úteis do mês foi de US$ 4.857,6 a tonelada ante US$ 3.993,8 nos mesmos dias do 2018.

Na comparação com os 23 dias úteis de outubro, as vendas externas de carne bovina caíram 8,7% em volume e 0,9% em receita.

Em volume, as vendas aumentaram 13% na comparação anual e chegaram a 57,6 mil toneladas. O valor subiu porque a China sofre com uma epidemia de peste suína africana.

Na mesma base de comparação, o preço médio da carne suína exportada pelos frigoríficos brasileiros cresceu 29,8%, para US$ 2.405,3 por tonelada.

Em relação às vendas de outubro, que

Em volume, as vendas aumentaram 13% na comparação anual e chegaram a 57,6 mil toneladas. O valor subiu porque a China sofre com uma epidemia de peste suína africana.

Na mesma base de comparação, o preço médio da carne suína exportada pelos frigoríficos brasileiros cresceu 29,8%, para US$ 2.405,3 por tonelada.

Em relação às vendas de outubro, que teve 23 dias úteis ante 20 dias em novembro, as exportações caíram 7,8% em volume e 6,4% em receita. O preço médio no mês ficou em US$ 2.365,2 a tonelada.

Em receita, essas vendas geraram US$ 492,8 milhões ante US$ 464,8 milhões um ano antes.

O preço médio da carne de frango exportada pelo Brasil em novembro ficou em US$ 1.593,7 a tonelada, com alta anual de 1,7%.

Na comparação com os 23 dias de outubro, quando as exportações somaram 329,8 mil toneladas e renderam US$ 523,1 milhões, as vendas caíram 6,2% em volume, mas cresceram 6,1% em receita. O preço médio em outubro foi de US$ 1.585,9 a tonelada.

Oferta x demanda

O subsecretário de Inteligência e Estatística de Comércio Exterior, Herlon Brandão, afirmou que o preço da carne bovina no mercado interno, que está em alta, é uma questão de oferta e demanda. Segundo ele, a demanda externa está aquecida pelo produto, e isso aquece os preços.

Com Edna Simão e Mariana Ribeiro, de Brasília

Valor Econômico