out 7 2019

Preço médio da carne bovina exportada bate recorde


O preço médio da carne bovina exportada pelo Brasil em setembro atingiu seu recorde histórico, segundo acompanhamento realizado pela Associação Brasileira de Frigoríficos (Abrafrigo). Segundo dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex) do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), o valor da tonelada de carne bovina in natura vendida em setembro foi de U$4,24 mil, o maior preço já registrado.

O valor ficou 1,6% acima da média de agosto e é 7,4% maior que a de setembro de 2018. A alta dos preços foi puxada pela valorização do produto no mercado chinês, mercado que enfrenta uma crise de desabastecimento após um surto de peste suína africana. Segundo a Abrafrigo, somente o Japão e a Coreia do Sul pagam mais do que a China pelos cortes do dianteiro bovino atualmente. Por outro lado, a evolução nos preços aumentou a concorrência no mercado internacional, fazendo com que o Brasil perdesse para a Argentina a posição de maior exportador de carne bovina a China no último mês.

Queda
Em volume, as exportações totais de carne bovina do Brasil em setembro registraram queda de 19%, segundo o levantamento da Abrafrigo. Foram 145,4 mil toneladas ante 178.489 toneladas no mesmo mês de 2018. Em receita, o recuo foi de 13% na mesma base de comparação, para US$ 607,5 milhões, completando dois meses consecutivos de queda nas exportações.

Na avaliação da Abrafrigo, a habilitação de 17 novos frigoríficos para exportação para a China ainda não gerou impacto sobre as vendas internacionais do Brasil. As remessas para o país pela cidade estado de Hong Kong passaram de 289,4 mil toneladas nos nove primeiros meses de 2018 para 252,4 mil toneladas em igual período de 2019 – retração de 12,8%. Já as vendas para a China continental registraram crescimento de 11,2% na mesma base de comparação, para 253,15 mil toneladas.

Diante disso, a Abrafrigo manteve, este mês, uma previsão de crescimento de 6% nas exportações brasileiras de carne bovina. No acumulado do ano, as vendas internacionais brasileiras acumulam alta de 5% em valor, com US$ 4,9 bilhões, e de 10% em volume, com 1,3 milhão de toneladas.

Portal DBO