out 4 2019

Soja brasileira perde espaço na China, mas carnes e açúcar ganham


As relações comerciais entre Brasil e China não mantiveram, neste ano, o mesmo ritmo de 2018. Até setembro, os chineses importaram o correspondente a US$ 58,3 bilhões (R$ 239 bilhões) do Brasil no setor de alimentos, um valor 7% inferior ao do mesmo período de 2018.

A soja é o motivo principal dessa retração. Com bons estoques e retração no consumo interno, os chineses compraram do Brasil apenas 46 milhões de toneladas da oleaginosa neste ano, abaixo dos 55 milhões de igual período do ano passado.

Além disso, mesmo com a manutenção da guerra comercial, a China começa a importar mais soja dos Estados Unidos. Com isso, os gastos dos chineses com a compra de soja no Brasil recuaram 20% no ano, para US$ 19,6 bilhões (R$ 80,3 bilhões).

Carnes e açúcar, porém, impediram uma desaceleração ainda maior na relação comercial entre os dois países, conforme dados da Secex (Secretaria de Comércio Exterior).

Folha de S Paulo