set 27 2019

Preço pago ao produtor de leite reage e sobe quase 2%


O preço médio pago ao produtor de leite em setembro, referente à captação de agosto foi de R$ 1,3728/litro, alta mensal de 1,94%, aponta levantamento do Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada), da Esalq/USP. Na comparação com igual período do ano passado, a valorização foi de 9,5%. Segundo o Cepea, o movuimento é “atípico” e reflete a menor oferta de leite em agosto – contrariando as expectativas do mercado.

“É preciso destacar que, no Sudeste e Centro-Oeste, o período seco prejudica a disponibilidade de pastagens, limitando a produção”, explica a instituição em nota. No sul do país, contudo, as boas condições climáticas levaram ao aumento de 10,9% na captação de leite no Rio Grande do Sul e em 11% em Santa Catarina em agosto. No Paraná, o aumento foi de 7,5%. Com isso, o ICAP-L (Índice de captação de leite nacional) apresentou alta de 7,7% de julho para agosto/19. “Apesar do aumento da captação, o volume de leite não tem sido suficiente para abastecer o mercado doméstico e, consequentemente, laticínios concorrem pela matéria-prima, visando reduzir a ociosidade”, explica o Centro de Estudos.

A menor oferta no campo elevou, também, as cotações dos derivados lácteos. No mercado atacadista de São Paulo, o preço médio do leite longa vida em agosto, de R$ 2,53/litro, ficou 7,3% acima do verificado em julho. Entretanto, o cenário para setembro mudou e a média mensal deste mês (até o dia 26), que caiu 2%, para R$ 2,48/litro. Segundo colaboradores do Cepea, indústrias reduziram o volume de produção e, agora, operam com níveis de estoques de médio a baixo, no intuito de evitar custos extras, uma vez que os atacadistas pressionam por cotações mais baixas.

Para outubro, o Cepea desta que o preço pago ao produtor deverá ser influenciado pelo desempenho dos mercados de derivados e spot este mês (setembro), quando houve queda de preços nos primeiros quinze dias diante da expectativa de recuperação da produção após o retorno das chuvas no Sudeste e Centro-Oeste. “Assim, a valorização do leite ao produtor em setembro pode permanecer como um fato atípico e pontual”, explica a instituição.

Portal DBO