set 20 2019

MS tem o 4º maior rebanho bovino do país, aponta pesquisa do IBGE


Fazendas em Mato Grosso do Sul somaram um total de 20.896.700 cabeças de gado até dezembro de 2018, conforme aponta a PPM (Pesquisa da Pecuária Municipal), divulgada nesta sexta-feira (20) pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Isso mesmo, tem mais boi do que gente no Estado, que junto a Mato Grosso, Goiás e Minas Gerais e Pará, representam 54,4% da pecuária bovina no país. Somente Mato Grosso do Sul é responsável por 9,8% da produção nacional.

Segundo o levantamento, houve queda de 0,7% no rebanho bovino, que soma 213,5 milhões de cabeças. Na região centro-oeste, são 73,8 milhões, que também sofreram queda de 0,4%. Ainda assim, segundo os dados, o Brasil segue como 2º maior efetivo de bovinos e 2º maior produtor de carne bovina e está no topo como o maior exportador do planeta.

Duas cidades de MS saem na ponta das estatísticas, com os maiores rebanhos. Corumbá, a 444 km de Campo Grande, tem 1.842.470 animais. Ribas do Rio Pardo, a 97 km da Capital, vem logo na sequência, com 1.132.000 cabeças de gado. As cidades ficam atrás apenas de São Félix do Xingu, no Pará. que tem 2.256.734 animais.

Produção de leite

Apesar de registrar a segunda queda consecutiva no efetivo de bovinos, a PPM também registrou aumento na produtividade de leite e queda das vacas ordenhadas. Pela primeira vez, a produtividade nacional de leite ultrapassou os 2 mil litros por vaca ao ano – um crescimento de 4,7% frente a 2017. O preço médio foi de R$ 1,16 por litro de leite, aumento de 4,7%, resultando em um valor de produção de R$ 39,3 bilhões.

O total estimado de galináceos cresceu 2,9% frente a 2017, chegando a 1,5 bilhão de cabeças. A produção nacional de ovos de galinha bateu novo recorde na série da pesquisa, totalizando 4,4 bilhões de dúzias em 2018, um valor 5,4% superior ao obtido em 2017. Todos os outros rebanhos, como suínos, ovinos e caprinos sofreram aumento, inclusive na produção de mel.

MidiaMaxNews