jun 21 2019

Tecnologia em inseminação artificial na pecuária melhora qualidade na produção de carne


Um dos principais investimentos que devem ser observados pelos produtores de bovino de corte que tem objetivo de melhorar o rebanho é o melhoramento genético. Inicialmente a introdução do controle de prenhez (observação do cio) e mais recentemente, a Inseminação Artificial em Tempo Fixo (IATF) contribuíram contribuíram para uma produção de animais 1/2 sangue Angus e Nelore.

Em Aquidauana, a iniciativa do empresário paulista, Paulo Orsi, está modificando o segmento de cria e recria, ao conseguir resultados mais eficientes em termos de produtividade e rentabilidade do rebanho. Ele destaca que iniciou o trabalho na região do Pantanal em 1998 e ficou encantado com o potencial dos animais criados em condições climáticas diferenciadas, como é o caso da região pantaneira.

“Iniciei a atividade pecuária com criação de bezerros e sempre fui favorável a utilização de inseminação artificial, desde a mais tradicional que era observação de cio. No entanto, a partir de 2008 troquei a técnica pelo IATF e os resultados foram bastante positivos”, explica.

De olho nas possibilidades tecnológicas proporcionadas pelo cruzamento industrial, Orsi revela que já iniciou o manejo com sêmen da raça Angus (norte-americana), a fim de produzir animais precoces e de qualidade superior. “Produzimos bezerro, parte para engorda e outra para comercialização de machos e fêmeas. Nosso objetivo, é intensificar a produção de animais 1/2 sangue Nelore/Angus, por meio do Cruzamento Industrial", argumenta.

Os exemplares apresentam excelentes características de precocidade, fertilidade, conversão alimentar, longevidade e rusticidade. A introdução do Angus no Brasil registra mais de 70 anos (conforme informações da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária – Embrapa), no entanto, as tecnologias desenvolvidas e a utilização de sêmen com alta qualidade resultou na preferência de grande parte dos pecuaristas, em diferentes regiões do país.

FACILIDADES

O leilão da fazenda Veneza acontecerá no dia 22 de junho (sábado), a partir das 12h, no Parque de Exposições de Aquidauana. Convidados e clientes terão oportunidade de conferir presencialmente, 3.500 animais em exposição. “Além disso, apresentaremos vídeos com mais 3.500 exemplares filmados na fazenda, totalizando 7 mil animais nessa edição. Nosso objetivo é apresentar animais com alta qualidade e desempenho e facilitar a aquisição para os compradores”, argumenta.

A afirmação do empresário sobre a flexibilização da compra acontecerá em vários momentos. O evento será transmitido pelo Canal Rural e internet, com transmissão ao vivo para os interessados em adquirir animais, mas, que não podem estar presentes no dia. “O último leilão do ano passado obteve um resultado muito positivo, pois, tivemos a participação de pecuaristas que moram fora do Brasil, como nos Estados Unidos e Portugal, além de importantes clientes aqui de Mato Grosso do Sul e outras regiões do país”, reforça.

Outro ponto positivo para os compradores será a forma de pagamento que apresenta as seguintes condições: pagamento à vista com 2% de desconto, 45 dias de prazo para pagamento total ou, uma entrada de 25% o restante dividido em três parcelas fixas 30,60 e 90 dias.

SERVIÇO

O leilão da Fazenda Veneza será realizado no Parque de Exposições de Aquidauana, no dia 22 de junho, a partir das 12h, quando será servido almoço para os participantes. O certame com apresentação dos lotes de animais terá início às 13h no local e pela internet.



O Pantaneiro