jun 13 2019

Academia, campo e indústria debateram a cadeia da pecuária de corte em Porto Alegre


Um fórum que une pesquisa, manejo, indústria, mercado e consumo. Essa é a Jornada Nespro, que encerrou na quarta-feira (12), a sua 14ª edição, em Porto Alegre.

Ela é realizada pelo Núcleo de Estudos de Sistemas de Produção de Bovinos de Corte e Cadeia Produtiva da Ufrgs e tem o mérito de servir como ponte entre a academia, campo e consumo.

Dos três dias (segunda, terça e quarta-feira) de apresentações e debates, o saldo são as informações adquiridas. E não foram poucas, tanto para os acadêmicos, que aqui se reforçaram com ricas experiências práticas, quanto para produtores, que vão para as suas fazendas com muitas ideias, as quais, bem aplicadas, podem resultar bons ganhos.

Os novos conceitos e a adequada nutrição , de acordo com as fases e tipos dos rebanhos, as variedades e escolha dos pastos, o seu manejo.

Todos temas importantes, assim como também foram os dados passados pela indústria que recicla o material que os frigoríficos rejeitam. São 12,5 milhões de toneladas processadas de rejeitos ao ano e 75 mil empregos gerados.

A arena da Nespro é uma geradora de soluções, cuja finalidade, vem sendo alcançada. Mas é também imperativo destacar que para esses acadêmicos de veterinária, de zootecnia, de agronomia, que estão se formando ou começando, e mesmo aqueles que já têm os seus diplomas, esses três dias de trabalho são de ouro, para que saibam a responsabilidade que lhes aguarda. A produção brasileira muito precisa deles.

A Nespro é ainda uma prova material do papel da universidade pública federal, do que faz e do que é capaz
de fazer de bom. E não são poucas coisas.

Veja abaixo o balanço feito pelo coordenador do núcleo e professor de zootecnia da Ufrgs, Júlio Barcellos.

Canal Rural