jun 12 2019

Arroba: pecuarista está segurando os animais


Nas praças onde os frigoríficos estão bem posicionados quanto às programações de abate, as cotações caíram na última terçafeira (11/6).

Porém, as compras com os preços vigentes deprimidos nos últimos dias resultaram numa queda do volume dos negócios. Quem pode, não vende.

Com isso, mesmo com o consumo calmo e o escoamento lento da carne, as indústrias
começaram a ter dificuldade em preencher as escalas de abate em algumas regiões, como por
exemplo, na praça pecuária de Campo Grande-MS.

Na região, a média das escalas de abate atendem a quatro dias e a cotação da arroba do boi
gordo subiu.

Em São Paulo, apesar de estabilidade nas cotações na comparação dia a dia, essa menor oferta
de boiadas foi sentida e alguns frigoríficos que estavam fora do mercado no dia anterior, abriram a
oferta de compras ofertando preços acima das referências.

A margem de comercialização das indústrias que desossam ficou em 23,9%, acima da média
histórica que é de 20%. Com informações da Scot Consultoria.

Pecuaria.com.br