jun 4 2019

Instituto CNA conhece Sistema de Rastreabilidade Bovina do México


O diretor e o secretário-executivo do Instituto CNA, Rodolfo Tavares e André Sanches, passaram quatro dias no México para conhecer o sistema de identificação e rastreabilidade bovina do país. Eles se reuniram com representantes de pecuaristas, governo e indústria para entender como funciona e quais benefícios o sistema proporciona aos produtores rurais mexicanos.

A agenda de visitas começou pela Confederação Nacional das Organizações de Pecuária (CNOG), entidade similar à Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA).

“Foi um bom trabalho, conseguimos obter muitas informações e tenho absoluta certeza que serão extremamente importantes para o desenvolvimento da pecuária brasileira”, afirmou Rodolfo Tavares. “Nos demos conta que o caminho que temos pela frente para abrir todos os mercados mundiais é factível e temos total condição de atender as exigências desses mercados.”

A identificação do rebanho no México começa quando os animais nascem e é uma atividade prevista em lei. Todo o rebanho no país está identificado e as informações ficam registradas em um sistema de controle informatizado, sob a supervisão do Serviço Nacional de Sanidade, Inocuidade e Qualidade Agroalimentar do México (Senasica).

“Sem identificação eles não permitem sequer trânsito entre estados ou mesmo propriedades, não se consegue emitir a guia de trânsito animal sem o brinco de identificação”, explicou o secretário-executivo do Instituto CNA, André Sanches.

O México possui um conjunto de entidades que atende o produtor rural com uniões regionais e associações vinculadas à Confederação Nacional das Organizações de Pecuária. Esse grupo é que administra o sistema de identificação e registro de bovinos.

Notícias Agrícolas