mai 30 2019

Referência mundial, vaca brasileira pare nono bezerro de 35 quilos


A vaca Elegância, que surpreendeu produtores de gado leiteiro ao atingir a marca de 100 mil litros de leite produzidos durante todas as lactações de sua vida, deu à luz pela nona vez, na Fazenda Nossa Senhora de Fátima, em Delta (MG). O bezerro, que recebeu o nome de Halley, nasceu na última terça-feira (28/5) com 35 kg, após um processo de inseminação artificial.

A quantidade de leite produzida pela vaca, fruto de embriões de origem húngara da raça holandesa, a levou a figurar no ranking da Associação Brasileira de Criadores de Girolando como a terceira vaca de maior produção vitalícia na história da raça, uma das maiores do mundo.

O total produzido, de 100.593,85 quilos leite em 3.144 dias, está muito acima da média nacional para animais de até 15 anos da raça girolando meio sangue. Aos 12 anos, a vaca acumula nove partos, número também superior ao registrado em bovinos do tipo, que é em média de cinco a seis.

Segundo o proprietário de Elegância, veterinário Guilherme Garcia Ferreira, apesar da idade avançada, ela passa bem depois da nona gestação. “Nossa expectativa de lactação é a de que seja similar à que ela já vem tendo, mas todo animal tem seus limites. Então, estamos tranquilos”, afirma.

Elegância tem o diferencial da longevidade e vacas com essa característica são mais lucrativas levando em consideração os investimentos na criação e, por esse motivo, permanecem produtivas mais tempo no rebanho.

Embriões da “celebridade” foram guardados e serão implantados em outras vacas para fecundação, na tentativa de perpetuar a boa genética. De acordo com Ferreira, como se trata de um processo de fertilização in vitro, é possível fazer a fecundação de sêmen sexado, isto é, onde o sexo possa ser definido. “As chances de nascer fêmea são de quase 90%”, explica. A preferência pelo sexo feminino, por óbvio, é para que novas “Elegâncias” nasçam e continuem a bater recordes de produção de leite.

Um dos filhos de Elegância, o touro Galáctico, foi submetido ao teste de progênie, uma rigorosa avaliação feita durante sete anos por técnicos da Embrapa e da empresa ABS para descobrir se ele herdou da mãe as características consideradas melhoradoras. O resultado será apresentado no mês de junho.

Globo Rural