jun 20 2018

Lei que proíbe exportação de animais vivos para abate será votada em SP


Projeto de Lei 31/2018, que proíbe o embarque de animais vivos para fins de abate no Estados de São Paulo, deve entrar na pauta para votação na Assembléia Legislativa no próxima terça-feira (26/6). A informação é do deputado estadual Feliciano Filho (PRP), autor da proposta. Ele e cerca de 40 ativistas se reuniram com o presidente da Assembleia, Cauê Macris, na noite da terça-feira (19/6), com o objetivo de marcar uma data para votação do projeto. Na prática, a lei inviabilizaria a exportação de gado vivo no Estado. Segundo o deputado, Macris garantiu que o PL estará na pauta do dia 26.

Ao anunciar no Facebook que o projeto irá à votação, Feliciano escreveu que “existem laudos veterinários contrários ao embarque e juízes, procuradores e promotores também já publicaram pareceres contra essa atividade. O sofrimento dura de 15 a 20 dias em embarcações quentes, imundas e apertadas. Estamos vendo até mesmo casos de bois que se jogam ao mar em tentativas desesperadas de fugir desses navios da morte, como foi o caso documentado do boizinho Herói, que na semana passada pulou de um navio e nadou por cerca de 5 horas em águas geladas até ser resgatado”.

Feliciano se refere ao episódio do dia 14 de junho, quando um boi foi resgatado na Praia das Cigarras, em São Sebastião, após ter caído do navio Aldelta, que estava no porto da cidade. O animal ficou cerca de 5 horas na água até ser encontrado por um veleiro próximo à praia. Após o resgate, ele voltou ao navio. Segundo a Companhia Docas de São Sebastião, responsável pelo porto, um veterinário a bordo do navio avaliou que o animal estava em boas condições e podia seguir viagem.

Na segunda-feira (18/6), o governador de São Paulo, Márcio França, manifestou-se nas redes sociais apoiando o PL 31/2018, e garantiu que sancionará a lei assim que o projeto for aprovado na Alesp. A declaração gerou resposta da Sociedade Rural Brasileira (SRB), que divulgou na terça-feira (19/6) uma nota de repúdio.

Feliciano Filho apresentou o PL 31/2018 no dia 9 de fevereiro, quatro dias após a partida do Navio Nada, que ficou uma semana retido no Porto de Santos. Com cerca de 20 mil bois a bordo e com destino à Turquia, o navio foi impedido de zarpar após a intervenção de ativistas, que alegavam maus-tratos aos animais, e também por uma liminar judicial que determinava o desembarque dos bois.

Fonte: Globo Rural